Em pleno desencontro, me procuro

Perdido em pleno tumulto de seres, sou um, cada hora um, no caos dos que me compõem. Em pleno desencontro de almas, me procuro em uma louca jornada pelo improvável, pois quando creio me encontrar comigo mesmo, já sou outro, já não sei de novo quem sou.


Uma coisa eu sei, ou acredito saber, que não sou você, que não sou e nem posso ser você ou outro qualquer, tão certo como você não pode ser eu, ou que ninguém mais você possa também ser. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

Não creio que exista alguma lei do retorno

Não perca tempo tentando provar que você é uma boa pessoa

Tales de Mileto

Carta de Richard Dawkins para sua filha, quando ela (Juliet) completou 10 anos