Valor


A consciência de qualquer ato ou fato, por mais absoluta que possa parecer, não é suficiente para dar valor a este fato ou ato, somente o desejo, a repulsa ou a interpretação subjetiva deste ato ou fato, é que podem dar valor a eles.
Ousaria repetir um pouco de Espinosa, e comentar que não é porque algo é bom que o desejamos, e sim, é exatamente porque o desejamos que o achamos bom. 

A realidade em si não possui valor algum, ela simplesmente é o real. É o nosso subjetivo, consciente ou inconsciente, que doa valor ao que percebemos da realidade, valor este que nunca é do real em si, mas em realidade é nosso, somos nós quem valoramos tudo e qualquer coisa. A realidade somente tem valor para quem dá valor a realidade, seja este valor bom ou ruim. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Livre arbítrio

Recomeçar

Gostamos de exigir