Homens e mulheres


Homens e mulheres são diferentes? Sim.

Homens e mulheres são iguais? Sim.

E aqui reside um pequeno paradoxo, que pode ser desvendado, quando entendemos que antes de homens e mulheres, existe uma espécie única, o Homo Sapiens Sapiens, e daí decorre, pelo menos para mim, e contrariando alguns, que mulheres e homens são muitíssimo mais iguais do que diferentes.

Para desespero de alguns, homens e mulheres são no geral iguais, como o são negros e brancos, orientais e ocidentais, crentes e descrentes, brasileiros e russos. Existem diferenças, mas são muito mais detalhes, ou mesmo são mais culturais do que efetivas. Mulheres, homens, negros, brancos, orientais, ocidentais, crentes, descrentes, brasileiros e russos possuem uma carga genética praticamente iguais, que é o que define nossa espécie como única, onde homens podem ter filhos com mulheres, negros com brancos, crentes com descrentes, orientais com ocidentais, brasileiros com russos, e o que assegura que homens não podem ter filhos com girafas, mulheres com focas, negros com carneiros, brancos com avestruzes, crentes com lobos, descrentes com galinhas, orientais com baleias, ocidentais com águias, brasileiros com cães e russos com ursos. Para desespero dos sectários, pode ser até que a diferença, apesar de pequena, entre dois brancos, seja maior que entre um branco e um negro, um oriental e um ocidental e assim por diante, somos uma espécie pela média da carga genética e aí somos praticamente iguais. 

Homens e mulheres são iguais? São diferentes? Mulheres e homens não são nem iguais e nem diferentes em absoluto, são parecidos, como todos somos parecidos independente de sexo, cor, nacionalidade e etc. Geneticamente da mesma espécie, fenotipicamente diferentes. Homens e mulheres podem ter, e tem, ligeira diferença na forma de pensar, um pouco na massa muscular, mas no geral são muito semelhantes, nada que justifique qualquer tipo de separação, exclusão, preconceito, segregação, opressão ou exploração.

Copiando uma ideia da grande Simone de Beauvoir, um branco desequilibrado pode querer um mundo sem negros, um ocidental lunático pode sonhar com um mundo sem orientais, um descrente louco pode almejar um mundo sem crentes, um brasileiro estúpido pode pensar em um mundo sem russos, mas um homem e uma mulher, por mais desequilibrados, lunáticos, loucos ou estúpidos que sejam, jamais podem sonhar com um mundo sem o outro, sem uma mulher e sem um homem (pelo menos neste estado atual da tecnologia). Neste ponto as mulheres estão mais bem posicionadas que os homens, pois em sendo possível o clone humano, uma mulher, louca é claro, poderá sonhar com um mundo sem homens, pois que com a clonagem o homem passa a ser automaticamente descartável do processo. Uma mulher possui toda a estrutura biológica para dar condições de desenvolvimento a óvulos fecundados, e com o advento do clone, estes óvulos, inseridos por inseminação artificial poderão ser dela mesma ou de outra mulher, com núcleo e genética dela mesma ou de outra mulher, e assim o mundo poderá ser mantido, somente com mulheres. Isto me põe a pensar que homens e mulheres não estão em condições de igualdade biológica, as mulheres, estas sim, estão mais bem preparadas para sobreviver ao tempo, independente da necessidade dos todos poderosos e pedantes homens. Não estou com isto necessariamente defendendo a clonagem como algo ético, estou apenas falando de possibilidades tecnológicas que virão, gostemos ou não, aceitemos ou não, achemos éticas ou não, por mais que dificultemos este caminhar. Sinceramente, como humano não gosto da ideia de clonagem humana, a reprodução sexuada é muito superior biologicamente e nos garante muito mais variações e capacidade de adaptações a mudanças ambientais e de defesas a novas doenças e infecções, mas a clonagem, sendo ética ou não, acabará por dar lugar a técnicas de prolongamento da vida, com a possibilidade de banco de órgãos. Mas como realista entendo que é apenas e tão somente uma questão tecnológica a ser superada e virá o tempo da engenharia genética apurada e da clonagem, a menos que nos destruamos antes, ou que algum cataclismo nos leve ao fim.

E se o mundo fosse somente de mulheres, será que poderia ser melhor? O meu lado romântico acredita que sim, mas o lado realista crê que não, como nossa mente é muito parecida, não obstante diferenças em camadas mais superiores, acabo entendendo que no cerne do cérebro, onde estão nossos mais arraigados instintos, somos cada vez mais iguais, o que levará, ao meu único ver, a que mulheres passem a agir no geral com os mesmos instintos que os dos homens, o que hoje não acontece pois elas os têm domados e adormecidos pelo poder maquiavélico dos homens. Isto é corroborado pela visão de que somos muito mais iguais do que diferentes, mulheres, homens, negros, brancos, orientais, ocidentais, crentes, descrentes, russos e brasileiros.

Então porque os preconceitos de gênero, raça, cor, religião, nacionalidade? Burrice pura, sustentada pela pedante ideia de dominação, pela vaidosa sensação de poder, pela presunçosa imagem de que os nossos são superiores aos deles, e pela ganância do poder. No fundo tenho a sensação de que não existam mulheres e homens, negros e brancos, orientais e ocidentais, descrentes e crentes, russos e brasileiros, existem Homo Sapiens Sapiens, em desenvolvimento de sua humanidade, onde por acaso, uns são homens e outros mulheres, uns são negros e outros brancos, uns são orientais e outros ocidentais, uns são crentes e outros são descrentes, uns são brasileiros e outros são russos, da mesma forma como uns são altos e outros baixos, uns mais inteligentes e outros mais limitados, uns possuem genética para Alzheimer e outros não, uns tem belas vozes e outros não, uns são artistas e outros cientistas, uns preferem futebol outros preferem leitura, uns são mais frágeis e outros mais resistentes, uns mais fortes e outros mais fracos... Poderia assim continuar citando diferenças que existem, apesar de todos seremos Homo Sapiens Sapiens.
Então porque o preconceito? Porque a opressão? Porque a discriminação? É mera questão de desrespeito e desumanidade, só isto justifica punir os diferentes, quando tomados a nossa vaidosa e prepotente imagem.

Não existe isto de mulheres estarem deixando de ser mulheres, antes de serem mulheres, elas são pessoas, são Sapiens, são seres da nossa mesma espécie e em muitos casos superiores a variação masculina, pelo menos elas podem procriar sem nossa presença, mesmo que tecnologicamente ainda não o possam. Entendo que apenas existam machos e fêmeas, simplesmente porque a reprodução sexuada necessita de dois “sexos”, e nunca porque um seja superior ou inferior ao outro, e isto em um único ser humano, em uma única espécie a Sapiens (preferiria chama-la de demiens). Isto é tão verdade, que apesar de ser raro, existem irmão em nossa espécie, seres humanos hermafroditas verdadeiros, que possuem tecidos completos para ambos os sexos, a diferença sexual é apenas e tão somente uma necessidade selecionada pela natureza como bem superior a reprodução assexuada. Mas mesmo assim, geneticamente são masculino ou feminino, que desenvolvem fenótipos de homem e de mulher ao mesmo tempo, sendo o hermafroditismo mais comum em genética feminina. Isto apenas dá mais força ainda em minha interpretação de que no geral somos praticamente iguais. Se no fenótipo visual, mesma genética pode dar origem aos dois sexos, imaginemos na formação cérebro-mente, que não vemos, homens e mulheres passam a ser fenótipo pontual, em casos extremos sexo feminino pode ter mente de homem e sexo masculino pode ter mente de mulher, e daí? Apenas que sexo é uma diferença muito pequena frente a genética como um todo, e frente ao ser humano mental que somos, e que podemos ser.





Hermafrodita verdadeiro (Cópia)
Os seres humanos com hermafroditismo verdadeiro nascem com órgãos sexuais dos dois tipos já bem formados, incluindo todo o aparelho reprodutor interno e externo. A maioria destes casos ocorre em pessoas do sexo feminino e o aparecimento dos órgãos sexuais deve-se a causas ainda desconhecidas pela medicina.


Estado de ambiguidade sexual ou intersexual, envolvendo genótipo, GONADAS, trato reprodutivo e/ou genitália externa (fenótipo). Este conceito envolve hermafroditismo verdadeiro e pseudo-hermafroditismo. Os hermafroditas verdadeiros são raros e possuem tecido gonadal de ambos os SEXOS (originados de OVÁRIOS e testículo). Os pseudo-hermafroditas possuem tecido gonadal de um único sexo, mas apresentam o fenótipo externo do sexo oposto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O sábio é um egoísta que deu certo

Nem sempre o verdadeiro há de ser real

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros