Materialismo e Idealismo

Não tenho a intenção de entrar em detalhes mais profundos, sobre ambos, neste texto, mas pretendo apenas comentar algo que penso e que sinto, e é um pequeno porque de eu ser, ou tentar estar materialista.


No materialismo tudo é, ou tudo decorre da dualidade matéria energia, não menos por isto, tudo é natureza, tudo vem de baixo, do básico, do elementar, e pode ir ganhando complexidade nova a cada instante, subindo, escalando, alcançando o quase infinito do pensamento e da criação, sem nenhum ideal pré-traçado.

No idealismo tudo vem de cima, tudo decorre de um, ou de um conjunto de ideais superiores, desta forma nada pode subir mais que este próprio ideal, assim tudo deve descer, somos uma espécie de aberração do rascunho destes ideais superiores e perfeitos, seja “perfeito” lá o que for, pois que eu pessoalmente não sei exatamente o que seja alguma perfeição absoluta.

No materialismo, tudo ascende, ou tudo pode ascender, pois que vindo do básico, do simples, do elementar, bem de baixo por assim dizer, tudo pode subir em escalas discretas, sinto-me tentado a falar em escalas quânticas, mas seria mera provocação.

No idealismo, tudo pode somente cair, uma vez que o ideal é, no extremo, uma espécie de deus, que seria por si só maior e superior a tudo, e se a realidade fosse exatamente o ideal, a natureza seria o próprio deus, a perfeição, e de novo deus não poderia existir como pessoa, pois que tudo já seria deus, e este não seria um deus cristão, mas sim um deus deísta ou panteísta.

No materialismo, como o ideal não existe em absoluto, e somente como uma abstração do possível, pois que tudo é imanente, nada é transcendente, pelo menos no sentido restrito, místico ou religioso do termo, nada pode ser absoluto como este ideal de ser e de existir, mas sim absoluto apenas pelo que existe, e então tudo pode continuar subindo rumo a um estado melhor, ou pelo menos diferente do que agora é, uma vez que de novo, melhor é absolutamente relativo.

No idealismo, nada pode ser maior que o próprio ideal do que deveria ser, sob a pena de que o ideal não fosse um ideal absoluto, assim, tudo tem que ser pior que este ideal, ou o ideal já seria tudo, e desta forma tudo tem que descer para alguma imperfeição, quando comparada relativamente com o ideal. No idealismo tudo está limitado, acima, pelo próprio conceito do ideal.

Como o materialismo não possui limites ideais algum, este pode sempre continuar escalando e escalando, e escalando... Também por isto, mas não somente por isto, optei por estar materialista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O sábio é um egoísta que deu certo

Nem sempre o verdadeiro há de ser real

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros