Não possuir resposta racional para tudo é natural

O fato de ainda não ter resposta racional para qualquer coisa não significa que esta qualquer coisa seja sobrenatural, ou que algo sobrenatural atue por traz desta coisa. O mesmo vale, naturalmente, para o início de tudo (se é que existiu um início para tudo, pode ser que algo sempre tenha existido naturalmente, apenas sofrendo transformações para que o todo que hoje conhecemos, que pode ser apenas uma parte, possa ter chegado a existir). O fato de não possuir resposta racionalmente clara para como surgiu tudo, como se deu o “início” deste tudo, não importa, ou não requer como resposta, ou como clara resposta, que este início se tenha dado por obra e graça de verbo sobrenatural algum, não impõe que seja necessário invocar algum deus para isto.


Colocar algo transcendental, místico ou deus nas lacunas de nosso saber, nas ausências do que sei, nas falhas de meu conhecimento, ou na ignorância de algo, não se justifica, pelo contrário, enfraquece este místico, este deus, pois que a ciência naturalmente, ao longo de sua jornada, fecha cada vez estas lacunas, apresenta comprovadas alternativas naturais e realistas como explicações para o que não sabíamos, e assim a causa necessária de algum deus diminui.

O universo é como é independente de nós, de nossos desejos, de nossos gostos, ou de nossas vontades. E o início deste nosso universo também se deu independente do que gostaria que fosse, ou mesmo do como seria mais bonito que o tivesse sido, pode até ser que de forma simplista o nada, o nada absoluto, nunca tenha existido, seja apenas e tão somente uma abstração lógico matemática, ou pode ser que naturalmente todo nada absoluto possui potencial natural para tornar-se algo. Não importa agora a resposta perfeita, não a tenho, mas por isto, como em inúmeros outros casos, justificar o que não sei por alguma existência superior, extra natural, supra natural ou sobrenatural me parece sim uma fuga para os preguiçosos, aqueles que não possuem fibra, coragem, vontade e capacidade de procurar alternativas reais, ficando assim com a alternativa mais fácil, como o fizeram, teólogos, em inúmeras outras situações.

Deus pode existir, ou não. Pessoalmente não creio em sua existência, pois que cada vez mais não percebo necessidade de que ele exista, e também não percebo atuação nenhuma dele. Não tenho provas para sua não existência, alias ninguém o poderá ter, mas isto não implica que ele exista, e também não é porque exista conceitualmente que tenha que existir realmente. Não tenho como provar a não existência real de dragões voadores, que soltam poderosas chamas de sua boca, criados em ouro puro e que são capazes de realizar meus desejos, nem por isto eles tem que existir. Existe o conceito intelectual do que seja um dragão que cospe fogo, e nem por isto ele tem que existir. Assim, não tenho como provar a não existência de deus, apesar de seu conceito ser plenamente conhecido, e não por isto ele tenha que existir, primeiro que a prova da existência deve caber a quem afirma sua existência, basta uma prova cabal, não circunstancial, e mudo na mesma hora minha forma de ler este mundo e passo a crer em deus. O que cada vez mais percebo é que o conhecimento científico, sério e real, completa cada vez mais as lacunas do desconhecido. Percebo também que quanto mais conhecemos, mais ainda temos para conhecer, um novo conhecimento traz com sigo mais e mais área de desconhecimento, mas que este mesmo saber, ao longo do tempo trata de descobrir, provar ou refutar, mas sempre com evidencias, nunca com achismos, desejos, vontades e nem com interpretações do como deveria ser, mas sim com séria análise crítica e racional do como é.

Como e por quê? Pequenas perguntas chaves da curiosidade humana, e chaves também do progresso científico. O saber sempre deverá buscar responder o como, pelo menos daquilo em que o saber já é natural. A ciência para ser verdadeira deverá sempre buscar estas respostas, a mais importante é o como. O porquê é uma curiosidade a mais, que poderá nunca ter resposta porque o próprio tempo pode ter destruído toda e qualquer evidência de muitos porquês. A ciência nada inventa, ela apenas percebe e busca entender o que aqui já existe, assim, até mesmo alguns "comos" poderão ficar sem resposta exata, mesmo que já tenhamos domínio e conhecimentos sobre coisas reais. O que desejo dizer é que posso ter evidências comprovadas de alguns fenômenos, fatos ou situações, posso ter experimentos que comprovem tal fato, posso ter tentado refutar de diversas maneiras, e não necessariamente ainda saber o como, pode estar ainda num nível de caixa preta este fato, mas a ciência séria não descansará até descobrir o como real por detrás daquele fenômeno, fato ou situação.
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Livre arbítrio

Recomeçar

Gostamos de exigir