Mulher

Mulher não quer somente flores, palavras bonitas ou carinho esporádico, a mulher não quer ser lembrada no seu dia, a mulher não quer e não precisa que fiquemos lembrando a elas que possuem direitos, elas querem respeito, elas querem que nós homens respeitemos os seus direitos, todos os dias e em qualquer lugar. O respeito, não como um favor ou benevolência, não como condescendência ou filantropia, mas o respeito sincero ao ser humano que faz morada em cada mulher, bem como ao corpo, as necessidades e as atitudes de cada mulher, um respeito aos direitos e liberdades naturais e reais de todas e de cada mulher em separado.

Se o respeito não vier naturalmente por humanidade, que venha pelo temor à força da lei, mas para isto é preciso que a lei em si e os representantes que devem fazer valer a lei estejam compromissados disto. Assim é necessário que as forças legais de segurança devam entender que mulheres são seres que devem ter seus direitos e liberdades totalmente defendidos e respeitados e não assumir uma postura de “deixa disso” ou “isso é coisa de casal” ou “não é bem assim”. O judiciário deve deixar de ser machista e punir exemplarmente as agressões, os preconceitos, os abusos ou as opressões a que mulheres estão sujeitas no cotidiano, e que muitas vezes são distorcidos ou minimizados por nós homens. Minha filha, como feminista, costuma me dizer que é muito difícil a um homem ser feminista, por mais boa vontade que ele possa ter. A criação machista das sociedades acaba se entrincheirando em pequenas rachaduras de nosso ser, que aparecem nas horas em que tentamos ser feministas. Eu tenho sorte de ter uma filha ativa e tão perto de mim, mas e os que não têm esta sorte, muitas vezes tentando ser feministas acabam sem perceber, e sem maldade consciente, mas de forma inconsciente, transferindo parte da culpa para a própria mulher. Um caso bem marcante disto é quando dizemos que elas devem brigar pelos seus direitos (quase as culpamos por não fazerem valer seus direitos),  a maioria absoluta delas sabe disto, mas a sociedade as reprime, nós, homens acabamos por deixa-las com medo, algumas até mesmo aterrorizadas. Entendo que se queremos ser feministas, o que devemos fazer é lutar pelos direitos e garantias a elas, é assumir comprometimento total com as liberdades, com a igualdade, e com o direito das mulheres, é exigir punição firme aos homens que não respeitam estes direitos, liberdades e igualdades, é cobrar das polícias, do legislativo e do judiciário comportamento e atitudes dignas deste respeito, é não nos omitirmos quando percebemos abusos ou opressões de quaisquer tipos para com as mulheres, e nos policiar de nossas atitudes, que muitas vezes é machista por costume e algumas vezes é machista mesmo sem um interesse consciente para tal.      

Vem chegando o dia internacional da mulher, elas não precisam de um dia, não precisam de flores, nem de algumas palavras bonitas, elas precisam de uma vida digna e respeitada, elas precisam de liberdades, igualdades e respeito, elas precisam viver como mulheres livres e respeitadas por todos, pela sociedade, pelo estado, pela lei e pelos homens, ou elas precisam mais ainda é ver que os que delas abusam, desrespeitam, ofendem, oprimem, exploram, ou atuam de forma excludente, segregadora ou preconceituosa para com elas (imagina a forma opressora, preconceituosa, e excludente que a sociedade atua para com as mulheres negras e pobres) sejam exemplarmente punidos, estejam eles em qualquer nível da estrutura hierárquica de poder na sociedade. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros

Tales de Mileto

O que somos?