O respeito é tudo

Amar é lindo, é digno e também natural, parece fácil, mas entendo ser algo de enorme dificuldade.


Amar em essência, em absoluto, a todos e a tudo, de todo o meu ser, entendo ser simplesmente impossível. O amor não vem programado em nosso cérebro, este simplesmente permite aquele, porem o amor requer construção, doação, vontade e coragem, é uma ação continuada, é uma obra interna que jamais estará completa, sua construção e reconstrução deve ser um ato contínuo.

O amor não é algo externo ao nosso ser, ele é interno, com repercussão interna e externa. O amor assim, não pode ser nos dado por ninguém, não pode ser transferido, doado, comprado, trocado, roubado ou encontrado fora de nós mesmos. O amor, como tudo em nós não é transcendental, ele é imanente, ele não está, e é impossível estar em nenhum outro lugar que não no submundo de nossa mente. Desta forma eu sempre repito, e não me canso de ensinar aos meus filhos que se o amar a todos e a tudo é muito difícil, já nos basta respeitar a todos e a tudo. O respeito por si só é algo mais simples e materializável, e portanto mais fácil, e por si só já nos guiaria em nossos atos comportamentos e em nossa relação social com todos e com tudo. O respeito a tudo e a todos, já é por si só, um enorme primeiro passo para um amor cada vez mais real e universal. Em nosso caminhar como animais humanos, o respeito já seria quase tudo de bom para a realização do viver social.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O sábio é um egoísta que deu certo

Nem sempre o verdadeiro há de ser real