Somos seres naturais


Somos seres naturais criados sem projeto específico algum, a imagem e semelhança de nosso desenvolvimento genético e fenotípico. Somos, por que não, filhos de um estado existencial caótico, ao logo de toda a existência da vida na terra, que nos trouxe até aqui, sem determinação, sem caminhos predefinidos, sem destinos, e sem glória especial alguma, a não ser ter continuamente se adaptado e deixado descendentes. 

Do primeiro replicador até a variedade de espécies de hoje, a vida foi em si guerreira, e nós, mera contingência deste caminhar. Somos por definição seres sem qualquer luz especial, sem direitos maiores, e sem propriedade sobre o natural. Somos seres animais, que pela evolução natural (pelos erros de cópia, adaptação, especialização e seleção) se desenvolveu em um nicho biológico próprio, onde o desenvolvimento de um circuito neural complexo foi marcante. Não somos a única das espécies animais com circuito cerebral complexo, do qual pôde emergir uma mente. Não somos também a única espécie que desta mente conseguiu emergir algum sentido de consciência, mas ainda somos, pelo pouco que conheço, a única espécie a ter, e demonstrar ter, consciência de que possui consciência de estar consciente, mesmo sendo basicamente um ser inconsciente. 

Para mim, o divisor de águas neste desenvolvimento mental, foi o cada vez maior desenvolvimento de uma capacidade linguística (uma linguagem predicativa), que permitia cada vez mais uma forma de comunicação avançada, e que assim nos possibilitou desenvolver todo o nosso potencial mente-cérebro que hoje possuímos. O trinômio, adaptação físico-biológica para a produção e especialização da fala, o desenvolvimento paralelo de uma linguagem predicativa, e o crescimento contínuo e adaptação do cérebro que hoje temos, nos permitiu um desenvolvimento cérebro-mente mais completo e complexo do que as outras espécies. Mas de que serve tudo isto se largamos de lado a justiça social, a empatia, e a defesa de nossa humanidade. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Livre arbítrio

Recomeçar

Gostamos de exigir