Não observamos


O problema é que no geral não observamos, julgamos, e assim contaminamos tudo com nossos preconceitos e opiniões, e perdemos a essência do fato a observar. O mesmo acontece com o pensar, rarissimamente observamos nossos pensamentos, estamos sempre a julga-los, a tentar dominá-los, a evitar os que nos assustam, ou que não se alinham com aquilo que acreditamos certo, ou que as religiões não entenda como certo, e assim o preconceito estraga tudo, e desta forma perdemos referência do que o pensamento poderia realmente nos dizer de nós mesmos, e de nosso comportamento.  Não somos objetivos quando vemos ou pensamos, assim percebemos por filtros de seleção, filtros estes que a maioria das vezes desconhecemos. Ter a coragem de pensar livre, é a melhor forma de racionalmente aprendermos com os pensamentos, e devemos perceber que pensar livre diz respeito mais a forma de pensar, do que aos assuntos a serem pensados, e que pensar serve para questionar, não significa necessariamente que concordemos ou que devemos fazer tudo que pensamos. Livre para pensar, nunca significou livre para fazer qualquer coisa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O que somos?

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros

Uma breve história, da semelhança à genética, e como a igreja se usou desta visão