Convicção

Na ausência de fatos ou evidências comprovadas por simulação, não devemos (mais do que não devemos, não podemos) ter convicções, Podemos ter crenças, mas nunca convicções. Convicções baseadas em crenças, na falta de evidências testáveis ou na falta de modelo de refutação, é fanatismo, bobagem ou ilusão. Indução, revelação, intuição ou sentimento não são e não podem ser fontes de convicções, sejam quais forem, a não ser a da própria convicção de que não posso ter convicção nenhuma baseado nelas. O compromisso com a verdade deve ser muito maior do que com qualquer crença, por mais importante que ela nos pareça, desta forma um estado de ceticismo é importante para que uma análise racional, crítica e lógica possa ser feita. Entendo que a indução, a intuição ou o sentimento possam ser itens provocativos a aprofundarmos nossos estudos, pesquisas e experimentos, mas não para provar nossas intuições, mas sim para entender o fato, seja ele aderente ou não a nossa intuição, ou a qualquer indução que possamos acreditar estar percebendo, e o método científico é o caminho sério, liberto de pré-conceitos, critico, lógico, racional e formal para este tipo de estudo ou análise. A realidade não precisa ser intuitiva, bela ou justa, aliás em muitos casos ela definitivamente não o é, não precisa ser sequer o que deveria ser conforme nossos preceitos, o que ela também não o é em muitos casos, por isso muito cuidado com intuições e sentimentos, maior cuidado ainda com revelações ou com aqueles que se afirmam autoridades do saber.


Convicção é algo pelo que deveríamos buscar o máximo de evidências e comprovações antes de tomarmos algo como convicção, eu entendo que comprovações em primeira pessoa, para muitos casos, em especial os mais complexos é difícil, as vezes até mesmo impossível, Na prática pode ser difícil eu mesmo comprovar que o universo conhecido está se expandindo, ou que o ruído de fundo deste mesmo universo mostre uma temperatura de cerca de 3 graus kelvin, ou mesmo que o LHC chegou próximo, ou descobriu realmente o Bóson de Higs, mas nestes casos eu sempre posso buscar fontes cientificamente sérias, o maior número possível, de diferentes laboratórios, de diferentes grupos (o método científico e seu filtro natural já fazem isto, pois que não basta um falar ou provar, cada fato deve ser comprovado por diferentes e independentes estudos, e a própria vaidade humana neste caso ajuda, pois que um cientista tentará naturalmente refutar a previsão ou descoberta do outro, não obstante o próprio método científico já embutir necessariamente os teste de refutação), e em ultimo caso posso eu mesmo, ou qualquer um estudar para poder entender cada passo da prova e assim chegar a ver e entender ou refutar em primeira pessoa. O Conhecimento e assim a ciência, posto que esta é tão somente o conhecimento, estão sempre em evolução, sempre em revisão, sempre em transformação, e assim devemos estar preparados para abrir mão de algo que temos como verdade, tão logo evidencias comprovem inverídico ou incompleto. Na ciência, por mais evidências e comprovações que tenhamos em uma ordem de valores, nunca poderemos afirmar que absolutamente temos o total conhecimento, sempre existirá, e deverá existir espaço para dúvidas. Em ciência, por mais evidências que tenhamos nunca teremos certezas absolutas, diferentemente de outras linhas em que mesmo sem evidências algumas, ou baseado unicamente em evidências meramente circunstanciais e superficiais possuem certezas absolutas em verdades máximas.

Para terminar, acho que foi Nietzsche que escreveu: “As convicções são inimigas mais perigosas das verdades do que a própria mentira”, eu ousaria uma pequena mudança nesta assertiva substituindo o “são” por “ podem ser”, ou “tendem a ser”, ficando assim: “As convicções - podem ser, ou tendem a ser - inimigas mais perigosas das verdades do que a própria mentira”, simplesmente porque muitos de nós temos convicções do que não devíamos e nem podíamos ter convicções, pois que as temos sem evidências e comprovações, apenas por intuições, induções, sentimentos, vontades, desejos, ou interesses. Convicções e crenças direcionam nossas vidas e moldam nosso comportamento e nosso comprometimento, por isso devemos o máximo de cuidado e atenção as nossas crenças e convicções.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Gostamos de exigir

Recomeçar

Livre arbítrio