Self

É realmente interessante como nosso self nos passa a consciência de que somos conscientes do que nosso self é. Mas é ilusório acreditar na falaciosa sensação de que nos conhecemos por completo. Nosso self não é um único retrato absoluto do que nós somos, mas sim uma coleção de fragmentos de múltiplos retratos, horas embaralhados, horas organizado, de tal forma que nos ilude como sendo um único retrato do que nosso self é, nos fazendo ser o que somos, onde seremos únicos, nunca sendo um só. A estranheza dos estados naturais, conhecidos e desconhecidos da matéria, me parece quase nada frente a estranheza dos possíveis estados mentais, que emergindo da complexidade do processamento de nosso circuito neural, compõem o submundo de nosso inconsciente, onde povoam como zumbis ativos, desconhecidos, aquilo que somos como um aparente ser único, sendo na verdade múltiplos seres.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O sábio é um egoísta que deu certo

Nem sempre o verdadeiro há de ser real

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros