Não sem razão

Não sem razão, existem muitos que se acham com razão, mesmo agindo irracionalmente, pois que da razão verdadeiramente nada, ou quase nada, racionalmente sabem. No uso irracional da razão, agem conforme lhes interessem, confundem indução com dedução, confundem desejo com verdades, confundem fé com saber, confundem querer com se expor tentando fazer, confundem ideal com real, confundem subjetivo com objetivo, confundem a subjetividade do que são e do como percebem o mundo com a realidade do que são e do que a realidade é, confundem pensar com livre pensar, confundem esperança com possibilidade, confundem as interpretações da verdade com a verdade em si, confundem revelação com conhecimento, confundem criticar com análise crítica, confundem o que gostariam de ser com o que realmente são, confundem tecnologia com ciência, confundem enfim intuição com razão.


Não sem razão, os racionais são poucos, o ceticismo é mal visto, os materialistas são demonizados, os que ousam realmente livre pensar são mal interpretados, os que buscam séria análise crítica são criticados, e os diferentes tendem a ser segregados.

Não sem razão, falta-me muito ainda para ser minimamente racional, para ser um verdadeiro livre pensador, para ser minimamente consciente na pratica da análise crítica, para louvar o ceticismo como desafio na busca de alguma verdade. 
Não sem razão, sou um aprendiz do racional, sou um aventureiro na busca de conhecimentos, e sou um ousado iniciante do livre pensar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O que somos?

Uma breve história, da semelhança à genética, e como a igreja se usou desta visão

Educação