Presente

Por mais que eu corra, me esforce, ou invista toda minha vontade ou energia, não consigo sair do presente, mesmo assim, muitos de nós acredita que o presente quase nada vale e focam seu viver em um futuro que pode nunca chegar, ou em uma esperança que pode nunca se realizar.


O presente é o nosso maior presente e devemos vivê-lo como única expressão da realização de nosso ser. Não defendo com isto nenhuma realização do viver desregrada, insensível ou desumana, mas se alguma felicidade é possível, ela somente se realiza no agora, mas esta felicidade deve ser entendida não como se a felicidade fosse alguma espécie de propriedade privada, pessoal, insensível, ou desligada da realidade social dos outros. Minha felicidade só será plena no universo social dos outros, de todos os outros, sendo parte ativa do poder social do nós. Entendo claramente que minha existência muitas vezes é polvilhada com alegrias pessoais, ligadas diretamente a mim ou aos que muito amo, como o nascimento de um filho, ou mesmo a superação pessoal de alguma doença, entre outras alegrias pessoais, e estas alegrias fazem parte do portfólio da felicidade maior que buscamos, mas a felicidade em si só será plena de gozo quando for parte de uma corrente maior com o mundo natural e com a sociedade que nos cerca. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Livre arbítrio

Recomeçar

Gostamos de exigir