Universais

Será que desejamos mesmo ser universais? Será que é possível sermos universais? Será que universais existem? Será que existe universalidade geral alguma que possa cobrir a toda multiplicidade social sobre esta terra? Sinceramente não creio. Valores, moral e comportamento, são locais e temporais, algumas vezes são mais localizados ainda, sendo circunscritos a grupos ou subgrupos, e muitas outras vezes chagam a ser pessoais e individuais.


Entendo que possam existir conceitos que são mais universais do que outros, e alguns, mesmo, que podem, segundo algumas perspectivas, serem bastante universais, entre estes, está o amor, e entendo que deveriam estar o respeito à vida, o respeito a todo e qualquer semelhante, e o respeito à dignificação humana e social, pois que estariam entrelaçados com a própria acepção social de nossa humanidade, e a dignificação do próprio viver.

Como já dizia o grande poeta, exigir que eu ame de verdade e, de todo o meu ser, à todos, inclusive aqueles que jamais conhecerei, me parece irreal e utópico, mas impor o respeito a todos os seres vivos, mesmo a aqueles que nunca conhecerei, é algo que além de possível, seria intempestivo realizar.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

Educação

Transgressões éticas

Carta de Richard Dawkins para sua filha, quando ela (Juliet) completou 10 anos

Empatia