ATEU


Amor acima de tudo
Tanto que ama o natural
Encontrando felicidade no amor à vida
Uma única certeza: a de que crer não é saber

Amo a vida
Tesouro maior da natureza
E respeito a todos, crentes e descrentes
Uma postura humilde frente a uma única vida por viver

Agora, aqui, respeito a existência
Tenho a certeza que pouco sei
Eu louvo a vida como um prêmio raro
Uma única chance para ser socialmente útil 

Aquele que erra
Tanto quanto acerta
Enfim sendo humano
Urge viver, aprender, crescer, construir, AMAR e dignificar toda humanidade



PS: É uma pena que preconceitos ainda existam em relação a opção por ser ateu (mas eu entendo que piores ainda são os preconceitos sociais, de classe, de cor, de gênero, de princípio e tendência sexual, entre outros), é verdade que o preconceito contra o ateísmo vinha diminuindo, mas de um tempinho para cá tenho sentido um certo recrudescimento deste preconceito institucionalizado principalmente por linhas cristãs e um tanto quanto disfarçado em parte da população (talvez o mesmo seja verdade em relação aos demais preconceitos, talvez uma parcela daqueles mais conservadores esteja um tanto revoltada com a perda de algum poder, e esteja disparando como sabe, com preconceitos e segregação). Ser ateu não é uma filosofia de vida (não obstante ser ateu me dê uma liberdade maior de pensar, e me leve a uma maior responsabilidade pelo que sou, e maior compromisso pelo que faço), e sim uma não crença em deus algum. O termo ateu, inicialmente vem da negação do teísmo (a crença em um deus que age, que decide, que tudo sabe, tudo vê, e tudo pode), desta forma o termo ateu nasce da negação no deus teísta “Abraâmico”, mas naturalmente, por simetria de conceitos, passa a incorporar qualquer deus (teísta, deísta, panteísta, politeísta, monoteísta e etc.), uma vez que entendemos não se fazerem necessários, e a maioria deles sequer se faz possível, assim o termo ateu passa a ter um sentido mais geral, mais aberto, e passa a implicar em não crer em deus algum. No meu caso específico tornei-me ateu por primeiro crescer em mim uma leitura materialista do mundo e do universo (materialista aqui nada tem a ver com amar ou dar mais valor aos bens materiais, e sim a linha filosófica de entender que tudo o que existe é matéria ou energia, e que pode de alguma forma ser reduzido física, operacional, conceitual, ou funcionalmente a matéria ou a energia, já que ambas são mutuamente conversíveis). Ser materialista inviabiliza totalmente qualquer crença, em qualquer ente transcendente, sobrenatural, ou supernatural. Eu sei que ainda sobrariam alguns deuses conceituais que seriam eles mesmo toda a natureza, que poderiam ser lidos como imanentes, mas se eles são a natureza, eu já tenho a natureza e fico com ela, não preciso deles, e os descarto também.


#ateuracional

Comentários

  1. Tbm sou ateu portanto fico intrigado e sem saber oq pensar quando alguem q nao conheço e nem ele a mim (e q mora em um Estado diferente do meu) incorpora uma entidade e começa a falar coisas sobre mim q nem o melhor dos detetives seria capaz de descobrir. O q diz a ciência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Amigo Custodio, sinceramente não tenho respostas exatas para isto, seria no minimo leviano tentar alguma resposta que seria adivinhação, e que pessoalmente não creio em adivinhação. Escrevi um texto e o publiquei sobre este assunto, mas por favor nao espere respostas exatas, não as tenho, mas ela não precisam ser sobrenaturais, e assim não impactam o estado ateu de ser.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Livre arbítrio

Recomeçar

Gostamos de exigir