Por um instante

Por um instante, vamos supor que deus realmente existisse, que a minha leitura da realidade estivesse errada. Vamos supor que ele realmente fosse algo a que pudéssemos denominar de deus. Será que alguém já teve a ousadia e a coragem de pensar livremente sobre as seguintes dúvidas?
Será que ele daria algum valor as religiões? A alguma delas em especial? A todas elas? A tudo que se vê escrito em todos os livros que se dizem sagrados? 
Será que ele daria mais valor a um ser que visto como diferente, se expõe, ousa bater de frente contra a realidade desumana que nos consome, tenta se comprometer com a dignidade social, que tenta aprender a desenvolver sua sensibilidade natural e sua empatia pela natureza, natureza esta que seria em última análise criação daquele deus, se ele existisse, daquele ser que abre seu peito e sua mente na defesa da criação daquele mesmo deus (mesmo que dizendo não acreditar na sua existência, e que faz o que faz apenas por acreditar na dignidade humana), ou será que aquele deus daria mais créditos e valor aquele certinho que vai ao templo, ora, mas que nada faz por transformar o que aqui está? 
Prefiro não responder, de tão clara que me parece a resposta. 
Você amiga leitora, ou amigo leitor, pode dar a sua opinião. Você pode estar certo e eu errado. Como eu não acredito em deus algum, minha resposta é somente teórica, e pode estar comprometida com minha descrença.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O que somos?

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros

Uma breve história, da semelhança à genética, e como a igreja se usou desta visão