A virtude

A virtude real, do corpo, da mente e do sangue, é testemunho sensível de nossa capacidade de amar, sem nunca deixarmos de ser animais, a virtude do amor é nossa meta de humanidade e somente por ele podemos chegar ao altruísmo, e a virtude do altruísmo é nossa certeza de que ainda podemos ser verdadeiramente humanos.

A virtude real, do corpo, da mente e do sangue, deixa marcas e deixa obras, a virtude do amor deixa exemplos, e a virtude do altruísmo deixa provas de que ainda não somos pura perdição desumana.


A virtude real, do corpo, da mente e do sangue, nos envolve pela paixão de construir, a virtude do amor nos equilibra pela doação que nos envolve e pelo compromisso social, e a virtude do altruísmo nos envolve pela dignidade de ainda podermos representar algo de humano.

As virtudes físicas, do amor e do altruísmo, são possíveis pois que imanentes, as podemos construir. Difíceis? Sim, mas não impossíveis. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O sábio é um egoísta que deu certo

Nem sempre o verdadeiro há de ser real