Crescimento humano independe de religião

É muito triste, pelo menos para mim, como a ignorância, muitas vezes ingênua, leva ainda um número grande de pessoas a acreditar que a religião (as religiões) forneça (m) algo de essencial que não se possa obter de outro modo. Estas pessoas cresceram ouvindo isto, muitas vezes de seus próprios pais, cresceram e se tornaram adultas, catequisadas para acreditar sem pensar, para aceitar sem racionalizar, para repetir sem o direito a ceticismo algum. 

Tudo de bom que uma religião possa oferecer, eu falei tudo, de bom para algum engrandecimento humano e social que qualquer religião possa oferecer, é plena e totalmente possível fora dela, e sem os riscos de cair em dogmas, profissões de fé, rituais, e mesmo dos conservadorismos, preconceitos, segregacionismos, fanatismos, fundamentalismos e etc... Mesmo a fé e a religiosidade podem ser mantidas fora das religiões. A Espiritualidade, então, sequer depende de fé, quanto a espiritualidade muito menos ainda depende de religiões, a busca de nosso eu, do que somos, a construção de nosso novo ser, de nossos valores, e de um amor racional, a defesa racional do que nos seja sagrado (sagrado é aquilo que somos capazes de dar nossa vida pela defesa, e esta é uma boa pergunta para muitos religiosos, em especial cristãos, até onde estão dispostos a dar a vida pelo que consideram sagrado nesta religião). A construção de nossa espiritualidade, muitas vezes tem nas religiões mais um problema do que um caminho, a espiritualidade que nos faz buscar sermos mais humanos, mais amorosos, mais respeitosos, mais sensíveis, mais igualitários, mais inclusivos, mais comprometidos, em absolutamente nada depende de nenhuma religião.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Gostamos de exigir

Recomeçar

Livre arbítrio