Eu amo a vida

Eu amo a vida, não querendo dizer, eu amo a minha vida, ou a vida dos meus. Eu amo a vida querendo dizer, eu amo a essência da vida, eu amo a vida em si, natural e imanente, eu amo aquele salto que levou o físico-químico ao biológico, eu amo a biologia que é a própria vida. Eu amo gatos, sim, mas eu amo pessoas, elefantes, gaivotas, sardinhas, jacarés, mosquitos, goiabeiras, bactérias, arqueas, e por aí vai, porque eu amo a vida. Não tenho vergonha nenhuma do que sou e nem de meu passado, ele foi importante para o que hoje eu sou, mas se pudesse teria apenas enveredado mais cedo pela biologia e pela neurociência.



E não existe como amar a vida, sem buscar sua origem e sem amar a evolução.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Recomeçar

Gostamos de exigir

Livre arbítrio