Amante da vida quem sou eu

Amante da vida.
Apaixonado por meus filhos.
Aprendiz da vida e das letras. 
Vida, é ela quem naturalmente me permite ser.
Letras, são elas que me libertam hoje a alma, e permitem ao meu espírito crítico, ético e científico, ganhar liberdade.
Construtor, "desconstrutor", destruidor e reformador.
É tentar ser agente de transformação, não por mim ou para mim, mas pelo humano, pelo social, pela dignidade de ser um com todos.

Escrevo por que não consigo falar para muitos, caso pudesse falar, escreveria também.
Escrevo porque não consigo agir para muitos, entretanto mesmo que pudesse atuar por muitos, continuaria escrevendo, pois que escrever, tal qual agir, são partes do que sou.
Agir é pôr em ação o que posso transformar, ou o que posso preparar para alguma transformação.
Escrever é uma virtude, um vício e um prazer.
Escrever é parte de mim.
Pode não ser uma escrita lírica ou poeticamente bonita, porém é sincera, e fruto de muita verdade do que sinto, e do que penso.
Tento jamais ofender os que me leem, apesar de que talvez a rudeza do que sinto e a revolta do que escrevo, possa, algumas vezes, parecer ofensivo.
Se minha escrita não for pela dignidade humana, melhor que não escreva. Se meus textos ofenderem a humanidade ou a vida, melhor que minha mão se perca, que minha pena se parta, que o papel me falte, e que o computador se quebre.


Sou livre enquanto minha liberdade for ética. Sou ético, enquanto minha ética puder dignificar a humanidade. Sou humano, apenas enquanto entender a força do AMOR e da razão.
Sou filho da evolução, da ânsia do viver, da revolução, da revolta que me põe em movimento por alguma transformação, e que me faz aprendiz da vida, do amor, da razão e das letras.

Carpe Diem - Com Amor no coração, com um quê de razão, com uma revolta por alguma transformação, com uma força de ação, com uma caneta na mão, ou um teclado em qualquer posição.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O que somos?

Uma breve história, da semelhança à genética, e como a igreja se usou desta visão

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros