Amor, no seu limite é simplesmente bem querer

Eu não entendo que se possa dividir o amor, entendo sim que o amor é uma soma, pois que não é um ato de doar o que já se tem. O amor é uma doação de si próprio pelo amor que se constrói.  Não consigo ver o amor como uma doação do amor em si. Por isto eu nunca divido o amor, eu cresço no amor que construo (horas com alguma desconstrução necessária, horas com algumas reconstruções). Eu me construo enquanto construo um estado mental de amar sem troca e sem interesses outros que não apenas o de entrelaçar vidas, sensibilizar mentes, humanizar sociedades, e respeitar tudo o que for natureza, tudo o que for natural, enfim um estado de bem querer geral.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O sábio é um egoísta que deu certo

Nem sempre o verdadeiro há de ser real

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros