Conceitualmente entender a ciência deveria ser tão prazeroso quanto entender uma obra artística

Infelizmente, muitos ainda se assustam, se amedrontam quando o assunto é ciência ou matemática. Mas não deveria ser assim. Mesmo o mais leigo dos leitores ou dos observadores, tem capacidade e competência para entender conceitos científicos, desde que quem os explique, tenha algum cuidado de passar a explicação longe dos universo técnico e próprio dos cientistas ou das complexas fórmulas, e coloque alguma, mínima que seja, sequência coerente. A maioria absoluta dos conceitos científicos, enquanto conceitos, são inteligíveis pela maioria absoluta da população, até mesmo porque ciência não é invenção, é puro entender o que já aqui existe, já vivemos imersos na ciência, pois que a ciência nada mais é do que entender a realidade que nos cerca. Como dizia Timothy Ferris “ A dificuldade para se compreender uma obra conceitual de ciência, em contraposição a uma obra de arte, é frequentemente exagerada. ” Desta forma, entender Newton, Einstein, ou mesmo Gell-Mann não deveriam ser mais amedrontadores que entender Shakespeare, Tolstoi ou Mozart. Cada um possui seu desafio intelectual, mas todos prometem e garantem uma belíssima recompensa pelo esforço.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

Tales de Mileto

Não creio que exista alguma lei do retorno

Não perca tempo tentando provar que você é uma boa pessoa