O amor

O amor, diferentemente da luz (onda eletromagnética), mesmo que em excesso não cega. Aliás, não existe amor em excesso (o amor em si só não existe, ele é uma construção subjetiva, individual, entretanto com escopo coletivo), pode até existir amor cego, aquele que não busca equilíbrio na razão, mas este já não seria amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros

Tales de Mileto

O que somos?