Todos morremos

Todos morreremos, teístas, deístas, panteístas, politeístas, agnósticos e ateus, ninguém dela escapa ou escapou. A morte ainda é democrática no sentido que passa por todos. O que muda, na morte nada, todos nos vamos, e aqueles que nos amam, ou de nós necessitam, sofrerão, e nós nos fomos de qualquer forma.... Por favor não venham me dizer que vivem ou filosofam para aprender a morrer, NÃO, eu vivo, penso, estudo, filosofo, para aprender a viver, pois que viver é que é difícil. Para morrer não preciso estudar ou filosofar, não preciso aprender, a morte me pegará mesmo que nada dela saiba... mesmo que chegasse ao estremo de a negar, ela virá...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O que somos?

Uma breve história, da semelhança à genética, e como a igreja se usou desta visão

Educação