Cultura

Todos nascemos “vazios” de cultura, nascemos totalmente livre dela, sem qualquer “traço” cultural, mas maravilhosamente preparados física e mentalmente (desde que nasçamos mentalmente saudáveis) para absorvê-la, como esponjas, para aprendê-la, para interiorizarmos a forma cultural local, assim, plenamente prontos para adquirir qualquer modalidade cultural. Creio que esta enorme capacidade de “aculturação” seja um dos grandes diferenciais humanos, nascemos prontos para esta aquisição, e talvez seja isto uma das mais importantes características, e mais marcantes condições que nos faz algo diferente da maioria dos elementos naturais, entretanto, nascemos sem ela, sendo a cultura algo que deve, e que precisa ser reconstruído continuamente, e se inicia logo após o nascimento de toda e cada nova criança. Isto é fácil de perceber, que nascemos livre de cultura, mas equipados para adquirir qualquer cultura: uma criança, qualquer criança, saudável, nascida em qualquer parte do mundo, com pais naturais daquele lugar, como por exemplo no Canadá, agora adote esta criança, logo ao nascer, por pais locais de qualquer outro lugar, como por exemplo, na China, no Iran, ou em uma cidade do interior paulista, e aquela criança aprenderá o idioma local naturalmente, bem como se desenvolverá em qualquer envolvimento artístico ou intelectual daquela localidade, e será tão chinês, iraniano ou brasileiro como qualquer outra criança nascida localmente, de pais locais, a menos talvez de alguns caracteres físicos como altura média, cor de olhos, tipo de cabelo, cor da pele e etc., que são traços genéticos que a criança trouxe ao nascer. Aquela criança nascida no Canada, mas adotada por pais e criada em qualquer outro local, será uma pessoa média daquele novo local, e terá, na média, os mesmos desejos, religião, modos de sentir e pensar, e tonalidade linguística, de um membro local. Isto, de alguma forma mostra que a cultura é poderosa para fazer de cada criança um peculiar ser humano de cada local, e do meio onde é criada, e que neste item, é muito mais poderosa que qualquer traço genético. Por isto, antes de você criticar gratuitamente características culturais de algumas pessoas/povos, lembre-se que apenas por sorte ou por azar, você não foi criado lá, pois se o fosse, você seria na média, pelo menos enquanto criança e jovem, até desenvolver um estado racional mais aprimorado, mais um adepto e praticante daquela cultura. Isto é tão verdade, não apenas para povos como um todo, mas também para nichos locais, muitas vezes dentro de uma mesma cidade, que leva a algumas pessoas a adquirir certas qualidades, gostos e apreciações diferentes de outras pessoas, naquela mesma cidade. Até neste item, uma cultura pode ajudar ou dificultar seu caminhar pelo mundo da racionalidade, pois pode valorizar ou desvalorizar esta característica....

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Educação

Gostamos de exigir

Recomeçar

Livre arbítrio