Eu me quero muito

Eu me quero muito. Sim!! Talvez!! Quem sabe?
Mas quem sou o eu que quer, e quem é o eu quero, o de agora, o de ontem, o de dez anos atrás, ou o de amanhã? E tem mais, quem é o eu que reside no meu lado inconsciente? Quantos serão os EUs que me fazem ser quem sou? Neste caso qual ou quais eu quero muito? Quero eu todos? De qualquer momento? De qualquer um deles?

Não sei. Mas, hamm hammm, eu SEI QUE ME QUERO MUITO. É tão mais fácil quando se é ingênuo, quando se ignora muitas coisas, quando falamos e pensamos sem realmente pensar, sem realmente digerir o alcance do que vai ser falado, quando falamos ou escrevemos simplesmente porque nos parece bonito, porque talvez gostem das palavras, infelizmente, para mim, isto é pouco... Prefiro que não gostem do que escrevo, mas que o que escreva seja sincero, não certamente verdade absoluta, pois que estou sempre aberto a mudar, uma vez que mudarei mesmo que não esteja aberto para isso, entretanto quero que quem leia, meus amigos, saibam que é sincero, que pode ser loucura, mas que reflete o que me esforço minimamente que seja para pensar antes de escrever... Na verdade eu não sei se me quero, nem pouco e nem muito, em verdade, hoje, não, eu não me quero, eu quero aprender a ser humano, desenvolver meu lado sensível, crescer socialmente diminuindo enquanto sou para que o todo possa crescer, enfim eu quero construir pelo menos um eu que eu possa chamar de “EU”, de “MEU EU”, com certo prazer, mesmo que seja às custas de alguma dor.


#ateuracional

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

Apenas uma teoria? Como muitos podem ser tão ingênuos, doutrinados ou interesseiros

O que somos?

Libertário não significa desordem e nem aceitar as justificativas meramente liberais, não obstante em alguns pontos, meu ideal libertário e alguns princípios liberais se sobreporem