Loucuras e abstrações para o todo do nada

Mesmo que tudo (o todo) fosse um nada, ainda assim tudo existiria deste todo que nada é, pois na verdade, o todo sendo nada, faz com que o nada continue a ser tudo. 
Não existe nada que não faça parte do todo, e nem pode o todo nada incorporar do nada, o todo sempre incorporará o nada, mesmo que o nada tudo seja. O nada é parte do todo, de qualquer todo, e o todo, o conjunto universo do tudo, inclui naturalmente o nada, o vazio, neste caso a abstração, real ou não, do vazio absoluto que tudo é sendo o nada.
O antagonismo de nossa vida: onde do nada viemos e para o nada nos dirigiremos é totalmente aderente ao todo que nos permite do nada vir a ser, nos permitindo também ao nada um dia voltar, sempre sendo uno com a totalidade do todo e do tudo, sem contudo, nosso universo, deixar que o nada tudo seja, ou que o tudo nada seja.

Não, não estou louco, pelo menos não todo louco, nem nada louco, apenas um ser em transformação, com sentimentos em revolução, com pensamentos em ebulição, tentando evitar um comportamento em degradação...



#ateuracional

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O sábio é um egoísta que deu certo

Nem sempre o verdadeiro há de ser real

Sexualidade, algo sério e que merece respeito