pensar e existir

Penso... Existo...

Próximo ou distante daquilo que me faz, penso que sou, sinto que sou, “sei” que sou, mas não sou exatamente o que penso ou o que sinto, muitas vezes isto não percebendo, acabo parecendo um tolo que crê ter ciência exata do todo que sou.

Penso porque existo, ou existo porque penso?
Sim, a leitura que faço, a percepção que tenho é de que penso porque existo. É impossível pensar sem existir, mas a existência em si só não é, também, garantia do pensar.
Sim, também existo por que penso, ao contrário de antes, o fato de pensar é uma garantia de existência, desta forma sei existo porque penso. Existir porque se pensa, apesar de servir de prova, não obstante não é uma prova única de existência, absoluta, pois muitas e muitas coisas, infinitas delas, existem e não pensam.

Desta forma eu, enquanto homo sapiens, penso porque existo, pois, a minha espécie permite o pensamento, e existo porque penso, posto que o pensar prova por si só minha existência.

O pensamento pode, para muitos, parecer algo transcendente, mas ele é totalmente imanente, ele emerge da complexidade neuronal através de uma mente, esta também emergente, em primeiro grau, do cérebro físico que a produz e a comporta.


#ateuracional
#ateu
#livrepensar
#ateuracionalelivrepensar

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livre arbítrio

O sábio é um egoísta que deu certo

Nem sempre o verdadeiro há de ser real